domingo, 24 de outubro de 2010

Ninguém Entende ...


[tristeza.jpg]
Estou cansada de ser vilipendiada, incompreendida e descartada
Quem diz que me entende nunca quis saber
Aquele menino foi internado numa clínica
Dizem que por falta de atenção dos amigos, das lembranças
Dos sonhos que se configuram tristes e inertes
Como uma ampulheta imóvel, não se mexe, não se move, não trabalha.
E Clarisse está trancada no banheiro
E faz marcas no seu corpo com seu pequeno canivete
Deitada no canto, seus tornozelos sangram
E a dor é menor do que parece
Quando ela se corta ela se esquece
Que é impossível ter da vida calma e força

Viver em dor, o que ninguém entende
Tentar ser forte a todo e cada amanhecer.
Uma de suas amigas já se foi
Quando mais uma ocorrência policial
Ninguém entende, não me olhe assim
Com este semblante de bom-samaritano
Cumprindo o seu dever, como eu se fosse doente
Como se toda essa dor fosse diferente, ou inexistente
Nada existe pra mim, não tente
Você não sabe e não entende
E quando os antidepressivos e os calmantes não fazem mais efeito
Clarisse sabe que a loucura está presente
E sente a essência estranha do que é a morte
Mas esse vazio ela conhece muito bem
De quando em quando é um novo tratamento
Mas o mundo continua sempre o mesmo
O medo de voltar pra casa à noite
A falta de esperança e o tormento
De saber que nada é justo e pouco é certo
E que estamos destruindo o futuro
E que a maldade anda sempre aqui por perto
A violência e a injustiça que existe
Contra todas as meninas e mulheres
Um mundo onde a verdade é o avesso
E a alegria já não tem mais endereço
Clarisse está trancada no seu quarto
Com seus discos e seus livros, seu cansaço
Eu sou um pássaro
Me trancam na gaiola
E esperam que eu cante como antes
Eu sou um pássaro
Me trancam na gaiola
Mas um dia eu consigo existir e vou voar pelo caminho mais bonito...
Mell Castro
Ninguém entende...

domingo, 26 de setembro de 2010

Quase sinto..Apenas quase...



Quase sinto a leveza dos teus lábios
roçando os meus...se pensar em ti!

Quase sinto a tua lingua 
a brincar com a minha ...se pensar em ti!

Quase sinto o teu abraço
colado e apertado...se pensar em ti!

Quase sinto a tua pele
a roçar em mim...se pensar em ti!

Quase sinto os teus lábios
percorrerem o meu corpo...se pensar em ti!

Quase sinto um arrepio na pele
deixar-me louco de desejo...se pensar em ti!

Quase sinto o teu corpo 
contorcer de prazer...se pensar em ti!

Ai...vou ter de deixar de pensar tanto!
Não é por ter medo de tamanha loucura...
mas..
Quase...apenas quase....


Mansão ...os seus desejos



dedico a você, menino dos meus sonhos...










Sonho todas as noites com você, e desses sonhos transformo em sentimentos, em palavras versos e poesias... São como ricos pedaços de Sol nascente que dedico ao teu Ser quando acordar.

Singilezas…


p.txt
“Nem não podia acreditar! Tudo era uma claridade,
tudo novo e lindo e diferente, as coisas, as árvores,
as caras das pessoas. Via os grãozinhos de areia,
a pele da terra, as pedrinhas menores,
as formiguinhas passeando no chão de uma distância.
E tonteava. Aqui, ali, meu Deus, tanta coisa, tudo...”
Guimarães Rosa, in Campo Geral*



A verdade nua e crua.

Por milhares de vezes eu abri a página para escrever algo no blog hoje, mas nada saiu. Na verdade muitas idéias, frases e opiniões estão fervendo na cabeça mas quando chega a hora de colocar na "ponta do lápiz" tudo foge, é como se ficasse um vazio. Por esse e outros motivos, pessoais assuntos do coração, não tenho postado muito nos ultimos tempos. Não quero chegar aqui e postar um texto mais ou menos apenas pra preencher o vazio que fica no blog, quero chegar postar um texto que chame a atenção de vocês, que passe uma mensagem legal, que talvez vocês se identifiquem ou seja quero postar um texto com conteúdo. Talvez isso demore um poucoAcho justo que vocês saibam o que está acontecendo, porque ando sumida e os post's tem diminuído, afinal de contas só estou com esse blog até hoje por causa de vocês, mas não pense que vou sumir do blog, pelo contrário vou procurar aparecer mais, comentar mais. Obrigada pelos leitores assíduos, pelos comentários nos post's anteriores e pela compreensão de sempre.
  




Aldo sobre dores !

E eu sei o quanto vai ser cansativo correr da dor.
O quanto vai ser falso eu ignorar ela aqui no meu peito.
Mas vou correr até a minha última esquina.
Cansei de morrer na vida das pessoas.


Clarice Lispector


         *

         *

         *
Hoje, temos a impressão de que tudo começou ontem. Não somos os mesmos, mas somos mais juntos. Sabemos mais uns dos outros. E é por esse motivo que dizer adeus se torna tão complicado. Digamos, então, que nada se perderá. 
Pelo menos, 
DENTRO DA GENTE.

João Guimarães Rosa

        *

        *

        *

ILUSÕES DO AMANHà



'Por que eu vivo procurando um motivo de viver,

Se a vida às vezes parece de mim esquecer?

Procuro em todas, mas todas não são você. 

Eu quero apenas viver, se não for para mim, que seja pra você..

Mas às vezes você parece me ignorar,
Sem nem ao menos me olhar,
Me machucando pra valer.

Atrás dos meus sonhos eu vou correr.
Eu vou me achar, pra mais tarde em você me perder.. 

Se a vida dá presente pra cada um, o meu, cadê? 
Será que esse mundo tem jeito? 
Esse mundo cheio de preconceito.

Quando estou só, preso na minha solidão,
Juntando pedaços de mim que caíam ao chão,
Juro que às vezes nem ao menos sei, quem sou. 
Talvez eu seja um tolo, que acredita num sonho. 
Na procura de te esquecer, eu fiz brotar a flor.

Para carregar junto ao peito,
E crer que esse mundo ainda tem jeito. 

E como príncipe sonhador... 
Sou um tolo que acredita, ainda, no amor.' 

PRÍNCIPE POETA (Alexandre Lemos - APAE) Este poema foi escrito por um aluno da APAE, chamado, pela sociedade, de excepcional..
Excepcional é a sua sensibilidade!



Aldo sobre dores !

E eu sei o quanto vai ser cansativo correr da dor.
O quanto vai ser falso eu ignorar ela aqui no meu peito.
Mas vou correr até a minha última esquina.
Cansei de morrer na vida das pessoas.


Clarice Lispector
Como uma pessoa tem a capacidade de dizer que a Dilma vai dar continuidade no governo Lula? Me impressionou um dos comentários que eu li aqui! Eu tenho 30 anos e cada vez mais me sinto envergonhada com a política deste país,onde nós jovens que podemos mudar algo, não nos importamos,nem ao menos procuramos saber sobre políticos do tipo Tiririca. Quem dirá que alguém tem algum interesse sobre o que Erenice Guerre fez em seu ministério, praticamente com uma quadrilha no governo, onde pessoas não concursadas como o seu filho tinha cargo de alto escalão. É um absurdo tudo isso, ninguém vê, as pessoas ouvem algo no jornal, mas no fundo não se importam com nada disso, isso é muito triste, pois é o nosso dinheiro que tá financiando toda essa quadrilha. Eu acredito que pessoas como Erenice sejam piores do que os traficantes, que vivem dessa vida por falta de escolha e não porque tem o prazer de enganar a população! O pior de tudo é assistir a todo esse escandalo e as pessoas ainda continuarem convictas de que Dilma é uma excelente candidata… Quem é Dilma??? Qual é a sua história na política, ela nunca foi vereadora, deputada, senadora… qual a experiência dela??? Ninguém se importa! Ela tem os votos das pessoas que vivem do salário família que é uma porcaria de salário miséria em que uma familia de cinco pessoas no interior vive com isso, e me diz se os integrantes dessa família pensam em trabalhar, eu digo que NÂO, porque viraram pessoas acomodadas e não tem o minimo de informação e vão votar na Dilma porque o LULA é BONZINHO! Isso da família eu não li em jornais eu vi com os meus próprios olhos numa cidade no interior do nordeste… Lamentável essas eleições,onde saem notícias na BBC news como se fossemos PALHAÇOS, com os nossos candidatos que infelizmente irão se eleger.
Vamos passar adiante, passe para o maior número de contatos possiveis, o
Brasil precisa saber disso.
DILMA, a favor do Aborto da lei da mordaça e acima de Jesus Cristo.
Até o Papa no Vaticano já se manifestou contra essa frase.

VAMOS VOTAR COM SABEDORIA 
      ACORDA BRASIL!!






fonte: http://ferramula.blogspot.com/2010/09/dilma-nem-mesmo-cristo-querendo-me-tira.html

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Sentada em frente ao PC, as luzes que cegam meus olhos não me deixam sentir absolutamente nada,
apenas finjo ser algo que não sou, apenas finjo ser comum, normal, feliz... de bem comigo, de bem com tudo..
'Não estou nem aí para porra nenhuma', é o que passa a imagem que faço de mim para o exterior. Mas aqui dentro, aqui dentro... a ceitação que necessito não atinge os olhos do meu ser, o que necessito é apenas o que penso necessitar.
Não sei mais de mim, e essa luz não conforta mais os meus pensamentos.
Doí-me, esta dor que causo em mim, profunda e agonizante, é o meu único refúgio e sentimento de ainda estar viva para algo, o nada.
Se tudo que digo muitas vezes não faz sentido, perdoe-me, apenas digo por querer dizer o que não sinto, confundindo ilusões e desenganos.. não pretendo nada, não pretendo lugar algum.
E quando chegará o final, se é que o fim existe realmente.
E quando chegará o amanha, o que trará para meus sentidos sem contextos, para meus pensamentos sem nexo, para minha vida sem mim?!

domingo, 12 de setembro de 2010

A...



... espera


Entrego-me ao tempo
Sem saber se um dia serei tua!



[{...}]













Para um certo moço...


Se eu disser que lamento não vai ser o bastante. Pedir perdão parece que não adianta mais... Eu errei e já não há como consertar. Queria apenas dizer que sinto tua falta, que sinto saudades. Eu não menti quando disse a você que meu coração estava habitado, alguém entrou furtivamente feito água.


Mas não é sobre isso que quero falar. É sobre como você fez toda diferença, como fez tudo ficar mais suportável a tal ponto que já nem doía mais. Se eu não te amei como você merece, se eu não reconheci o tanto que você é importante, não é culpa sua. É porque eu sou idiota às vezes e também faço das minhas.

Hoje você não quer mais ouvir falar sobre mim e eu estou me mantendo distante. Acho justo que você se afaste do que não te faz bem e infelizmente eu te fiz mais mal que bem. Mas acredite em mim, moço, não foi por querer.

Eu queria ter feito com que todos os teus dias fossem “árvores-barco", que todos os dias fossem de cachoeira e sorvete de creme, dançaríamos na chuva e eu te ensinaria a voar... Perdoe a insistência e a minha preocupação contigo, se todo o resto for imperdoável... perdoe apenas o fato de que eu te adoro e me preocupo.

Sinto tua falta.

Mas já é tarde demais...








"Tenho medos bobos e.. coragens Absurdas..."
Eu pretendia ser normal...





Mas então ficou um tédio...







E eu voltei a ser eu mesma!





*
*
carinhosamente Mell Castro

















Tão sem inpiraçãooo :(
Estou tão Sem Inspiração!






Só vim deixar meu bju de boa semana pra vcs...











Uma profunda Meditação vale Mais do que Mil palavras.




Bju Cheio de Carinho!







E assim sou,


fútil e sensível,


capaz de impulsos violentos e absorventes,


maus e bons, nobres e vis,


mas nunca de um sentimento que subsista,


nunca de uma emoção que continue,

e entre para a substância da alma.

Tudo em mim é a tendência para ser a seguir outra coisa;


uma impaciência da alma consigo mesma,


como com uma criança inoportuna


um desassossego sempre crescente e sempre igual.


Tudo me interessa e nada me prende.

Fernando Pessoa







Por motivos particulares vou me ausentar por vários dias do acesso aos Meu Blog, espero voltar logo e os amores por gentileza via e-mail, estarei no maximo possível lendo e respondendo, não quero perder contato com quem tenho enorme carinho, beijos.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Pra Ele:Norah Jones

video




Insônia.

Roubaram-me o sono novamente. Cá estou perdida entre meus livros preferidos, escutando as músicas que mais gosto, assistindo à televisão com o volume baixo. Já passaram por aqui Mário Quintana, Guimarães, Hilda, Pessoa. , Jobim, Chico, Caetano e Celine Dion. E parece que a madrugada vai ser longa.

Pensei hoje, o que seria dos insones se não existissem os artistas para lhe fazerem companhia? Estaríamos entregues a um zapping eterno, trocando de canais numa velocidade frenética e viciante. Pastor evangélico. Clique. Mulheres nuas da TV a cabo. Clique. Filme de comedia. Clique. E são mais de 100 canais, haja dedo.

A tentativa de me desligar foi inútil. Após girar na cama fazendo dela uma roda gigante, depois do colchão ter grelhado meu corpo por inteiro, desisti de fritar. Acendi a luz, liguei o som, a TV, perdi-me em páginas e enfim resolvi escrever. São tarefas-fuga, maneiras nem sempre efetivas de me esconder dos pensamentos que vêm atormentando este ser.

Hoje quis ficar sozinha. Resisti aos convites de amigos, não atendi o celular, reclusão total! Acho que o turbilhão só cresceu, talvez se eu tivesse me permitido alguma distração, agora estaria sonhando profundamente.

Mas de nada adianta lamentar. Então vou aproveitar o que as próximas horas me reservam. Afinal, os autores são os mesmos, os cds são os mesmos. E a angústia, minha fiel companheira de tantas insônias, há de acordar ao meu lado, encostada neste peito que anda reservado só para ela.





Relatos da alma.

Dor de cotovelo. Ah, como dói. E não tem aspirina, analgésico ou anti-ácido que faça passar o sofrimento. Nos culpamos, dizemos que nunca mais isso acontecerá de novo, trocamos de mal do Deus, enfim, a vida vira um caos. Mesmo assim acontece de novo.

Adoro a canção “Almanaque” do Chico Buarque. Termina assim: “me diz, me diz por que tudo começou quando tudo acabar?” Sim, porque a sensação de perda quando uma paixão chega ao fim é a parte mais revoltante da história. Aí, muitas vezes nos fechamos. Outra música do mesmo autor. “Hoje eu tenho apenas uma pedra no meu peito, exijo respeito não sou mais um sonhador. Chego a mudar de calçada quando aparece uma flor e dou risada do grande amor. Mentira!” Deslavada.

A tentativa de me proteger contra futuras dores só me causou mais dor. Ocorreu comigo o que chamo de “criogenia da alma”. Sim, durante muito tempo fiquei com sentimentos congelados, duros, nada mais me derretia. Então ouvi menos cds, vi poucos filmes, li quase nenhum livro de poesia. Deixei de enxergar numerosas belezas que se mostravam para mim. Aos meus olhos o mundo foi ficando em preto e branco, sem trilha sonora, sem enredo que me comovesse.

Demorou para que eu descobrisse que não importa se o final do livro é feliz ou triste. O importante é entregar-se à leitura. O fato do mocinho morrer no longa-metragem pouco tem a ver com a qualidade da película. A harmonia, mesmo dolente, deve ser apreciada com atenção. A vida acompanha essa lógica: até podemos quebrar a cara. O que não devemos é deixar de viver.

Vivi novamente há alguns meses. Senti dor de cotovelo há alguns meses. Sofri um tempo há alguns meses. Neste momento fico feliz com isso. Parece estranho? É estranho, mas me é prazeroso.

Se pude entregar-me, dedicar poemas e canções a alguém. Se fiquei esperando a pessoa chegar diariamente. Se senti aquele frio na barriga quando ele chegava. Se guardei o cheiro, os beijos, os carinhos, os olhares, as manhãs. O que é uma dorzinha de cotovelo perto disso tudo?

Passada a angústia, estou pronta. Abri as janelas do peito para que outro moço possa entrar. Sem me importar o quanto o romance é viável, se durará, se vou me machucar. Pois como diz Drummond: “as coisas lindas, muito mais que lindas, essas ficarão.”

Menino...

Passei poucas horas com esse menino. Poucas porque com ele o tempo nunca é suficiente, sua companhia merece sempre um mais. E que delícia é descobrir esse menino!!um certo ton,parecido com aquelas fotografias revelada aos poucos no quarto escuro, feito esses livros que nos prendem e que a cada página uma profusão de palavras cativantes vão aparecendo aos olhos e invadindo a alma.

Quanto mistério tem esse menino! Guarda consigo segredos doces, quase inocentes, temperos fortes para arder a vida sem graça. Com tais iguarias, vai tornando-se meu gosto predileto, cheio de pitadas únicas de sabores inconfundíveis.

Ah, degustar esse menino... ah... Como um vinho nobre que carrega bouquet complexo e qualidades escondidas. Toques de maçã, chocolate e baunilha. Cor grená de uvas cultivadas em terra firme sob o sol do céu da boca... hummm...

Ele é também canção. Não ouso cantá-lo. Insisto em ouvi-lo. Quero gravá-lo. Sinfonia de notas extensas que vibram o espírito. Harmonias de anjos celestes que caem das nuvens. Naipe de cordas soando em ritmo frenético e beleza essencial.

Adoro o falar desse menino! São sussurros que encantam. Seu papo é Bossa Nova, tocada baixinho, cheio de acordes dissonantes e de um lirismo só dele. Quem dera eu pudesse por dias e mais dias continuar escutando seu dizer. Pudera eu eternizar cada momento ao lado dele.

Pois assim é ele. Homem que aguça meus sentidos. Menino que faz sorrir com sua graça. Ser de uma lindeza ímpar cuja presença me enche de poesia.

dedico a você menino___________________________
____________________________________________________________Mell Castro





Miopia.

Aos meus olhos é belo, dono de um perfil que Van GOgh adoraria pintar. Aos meus olhos baila passos doces deixando um caminho de afeto enraizado por onde passa. E vai passeando pelo espaço encantando a cada novo movimento, fazendo o ato de observá-lo tão essencial quanto respirar.

Aos meus olhos é desses mulekes raros cujo sorriso faz valer a pena uma vida inteira. Pertence a um grupo em extinção hoje em dia, garota nenhuma pára em frente a ele e sai incólume. Ah, como sonhei ter suas mãos em meus cabelos,em meu corpo.Ah... como sonhei

Aos meus olhos é generoso. Sensível. Amoroso. Aos meus olhos sua capacidade de dar carinho seria infinita, o seu gostar incessante.

Aos meus olhos ele carrega consigo o sofrimento de um amor antigo. Um amor que de tanta dor, o tornou mais meigo, mais cuidadoso. Aos meus olhos age com zelo para não causar a alguém o mesmo que fizeram com ele.

Aos meus olhos é perfeito, sob medida para os carinhos meus. Ando precisando de óculos.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

INTERVALO...

Rosaas...

Você pode me ver
Do jeito que quiser
Eu não vou fazer esforço
Pra te contrariar
De tantas mil maneiras
Que eu posso ser
Estou certa que uma delas
Vai te agradar... (2x)
Porque eu sou feita pro amor
Da cabeça aos pés
E não faço outra coisa
Do que me doar
Se causei alguma dor
Não foi por querer
Nunca tive a intenção
De te machucar...
Porque eu gosto é de rosas
E rosas e rosas
Acompanhadas de um bilhete
Me deixam nervosa...
Toda mulher gosta de rosas
E rosas e rosas
Muitas vezes são vermelhas
Mas sempre são rosas...
Se teu santo por acaso
Não bater com o meu
Eu retomo o meu caminho
E nada a declarar
Meia culpa, cada um
Que vá cuidar do seu
Se for só um arranhão
Eu não vou nem soprar...
Porque eu sou feita pro amor
Da cabeça aos pés
E não faço outra coisa
Do que me doar
Se causei alguma dor
Não foi por querer
Nunca tive a intenção
De te machucar
Porque eu gosto é de rosas
E rosas e rosas
Acompanhadas de um bilhete
Me deixam nervosa...
Toda mulher gosta de rosas
E rosas e rosas
Muitas vezes são vermelhas
Mas sempre são rosas...
Porque eu gosto é de rosas
E rosas e rosas
Acompanhadas de um bilhete
Me deixam nervosa...
Toda mulher gosta de rosas
E rosas e rosas
Muitas vezes são vermelhas
Mas sempre são rosas...
Você pode me ver
Do jeito que quiser
Eu não vou fazer esforço
Prá te contrariar
De tantas mil maneiras
Que eu posso ser
Estou certa que uma delas
Vai te agradar...


...e assim,deixando nervosa ou não,pedindo perdão ou dando os parabens,toda mulher gosta de rosa!!![ri]




Eu e você



Não é assim tão complicado
Não é difícil perceber...
Quem de nós dois
Vai dizer que é impossível
O amor acontecer...
Se eu disser
Que já nem sinto nada
Que a estrada sem você
É mais segura
Eu sei você vai rir
Da minha cara
Eu já conheço o teu sorriso
Leio o teu olhar
Teu sorriso é só disfarce
E eu já nem preciso...

Sinto dizer que amo mesmo
Tá ruim prá disfarçar
Entre nós dois
Não cabe mais nenhum segredo
Além do que já combinamos
No vão das coisas que a gente disse
Não cabe mais sermos somente amigos
E quando eu falo que eu já nem quero
A frase fica pelo avesso
Meio na contra-mão
E quando finjo que esqueço
Eu não esqueci nada....

E cada vez que eu fujo, eu me aproximo mais
E te perder de vista assim é ruim demais
E é por isso que atravesso o teu futuro
E faço das lembranças um lugar seguro...
Não é que eu queira reviver nenhum passado
Nem revirar um sentimento revirado
Mas toda vez que eu procuro uma saída
Acabo entrando sem querer na tua vida

Eu procurei qualquer desculpa pra não te encarar
Pra não dizer de novo e sempre a mesma coisa
Falar só por falar
Que eu já não tô nem aí pra essa conversa
Que a história de nós dois não me interessa...
Se eu tento esconder meias verdades
Você conhece o meu sorriso
Lê o meu olhar
Meu sorriso é só disfarce
Por que eu já nem preciso...

E cada vez que eu fujo
Eu me aproximo mais
He! Heeeee!
E te perder de vista assim
É ruim demais
Hi! Heee!!
Por isso que atravesso
O teu futuro
E faço das lembranças
Um lugar seguro...

Não é que eu queira
Reviver nenhum passado
Nem revirar
Um sentimento
Revirado!
Mas toda vez que eu procuro
Uma saída
Acabo entrando sem querer
Na tua vida
Ah! Ah! Ah! Aaaah! Ah! Ah!...

Simplesmente magnífico. A beleza da melodia é impressionante
amo... amo... tstststst

Sentir.

Dói, mas dói muito. Alguém aí dê-me um analgésico para a alma, um band-aid que cubra os numerosos cortes que carrego dentro de mim. Talvez um cicatrizante. Ou morfina.

Parece que levaram as belezas que sempre estiveram comigo e agora preciso de transplante. Entrei na fila, quem souber de um doador de sentimento que me avise, o tempo urge e sem essa emoção confesso que sou incapaz de viver.

E que vazio é esse que parece rondar minha casa? Por que chegou assim? Por que não vai embora? Por que insiste em ficar?

Pensei que gosto de lágrima fosse salgado. É mais para o amargo mesmo. Pois meu paladar não se encontra na língua, e sim no peito. Aliás um peito que insiste em ter os cinco sentidos. Meu coração vê, escuta, tateia, lambe, cheira. Meu coração, de tão egoísta que é, quer ter todas as funções desse organismo caótico. Então acumula trabalhos, faz-me cansada, bate mais rápido.

Hoje chorei. Ontem chorei. E anteontem, e na semana passada, e no mês passado. Dizem que uma oração antes do sono ajuda. E quem não dorme? Faz o quê?

Falaram-me que crescer é doloroso. Porém, meu sofrer é de criança, de menina que ainda se apaixona pelos mais improváveis amores. Tentei de novo abrir mão dessa inocência. Não pude. Ou simplesmente não quis.


Sábado à noite.

Na noite de sábado Deus despertou poeta. E dependurou uma lua enorme no céu. E preparou um vento tépido para acariciar-me o rosto. E impregnou um cheiro de mato pelo quintal.

Nos fundos de casa separei três dos meus CDS preferidos. Ouvi Jobim, Alanismorrissette, escutei Ciara, Diana Krall,Hoobastank- the Reason

Preparei o jantar, comi fora (ao relento). Abri um vinho com delicadeza, degustei com calma e cuidado.

O clima, a música e a paz eram lindos. Quase tanto quanto você.


Mergulho.

Então estávamos juntos. Pela segunda vez. Entre um bom papo e outro, afagos e confidências ele me disse: vou mergulhar de cabeça nessa nossa história Coisa mais estranha, pensei comigo mesmo.

Foi ótimo naquela noite. trocamos numero de cel. Brindes, beijos,e sorrisão. Ele insiste:vou mergulhar de cabeça nessa nossa história Ih, acho que agora o moço tá falando sério.Pensei comigo

Conversamos por diversas vezes. Telefone, MSN, bendita tecnologia! Ah, ouvir sua voz… Colecionar palavras lindas. Deitar na cama torcendo para o dia seguinte chegar logo para começar tudo de novo. Em minha cabeça martelando, “mergulhar de cabeça”.

As semanas passaram mais rápido. Cada hora mais preciosa com sua companhia. Gosto desse menino. Adoro! Um tanto que eu nem sei dizer.

Quanto ao mergulhar de cabeça? Ele mal sabe que eu já mergulhei. E sem pressa alguma de voltar a terra firme.

Dedico a um alguém por mim muito especial




Segunda-feira ouvi Ciara,Celine Dion[seduces me] e McCartney. Na terça uni um soninho com a chuva. Quarta foi dia de cerveja com amigos. Quinta? Café e leite de manhã. Sexta foi almoço com bom papo. Para completar as combinações perfeitas, so me faltou juntar minha boca à sua.



Discursando.

Desapego. Quero mais nada dessa coisa de sentir intensamente, desse negócio de ficar insone. Chega de romantismo em excesso, não sou mais adolescente…

Agora eu sou mais eu, sabia? Pixei com spray colorido meu muro de lamentações, desejo só alegria, espantei as dores. Dou até risada quando me lembro de como eu perdi o sono, a fome, a vontade de fazer algo. Acho-me patética ao pensar que há pouco tempo estava perdida, sempre procurando alguém num quarto que é só breu.

Ah, nunca mais gostar de repente, sem motivo aparente, com um turbilhão de bem querer. Finalmente, a paz!

Navegarei a partir de hoje por mares mais calmos, sem tempestades. Procuro tempo firme, morno, agradável. Nada dessa montanha-russa que sobe, fico feliz; desce, vem o medo. Não vou mais ver o mundo de cabeça para baixo, continuarei em pé nos próximos meses.

Afirmo e reafirmo: a partir de agora sou assim!

Falei tudo isso ainda ontem. Tive a certeza de que estava dizendo a verdade. Aí você surge hoje. Lindo como nunca. Encantador como sempre. E fez aparecer um sentir que contradiz todo o meu discurso…


Uma viagem só partida.

Caprichei no disfarce. Pintei um sorriso enorme, desenhei olhos grandes e brilhantes, combinei tudo com discurso de felicidade exacerbada. Porém, a máscara que ando vestindo não tem sido suficiente para encobrir sentimentos.

Embora eu continue buscando as flores, procurando o céu mais azul que existe, esta névoa teima em descolorir os dias. É uma bruma que invade a paisagem. Cegando, causando frio, deixando-me doente. Inverno rigoroso que não se vai, chuva doída que insiste em cair gelando a alma e o peito.

Meu caminho é longo. Sem trilhas. Sem tréguas. Tento abrir clareiras mas o esforço é inútil. Talvez perder-se neste labirinto seja um fardo que preciso carregar por muito tempo.

Calvário constante, ardência presente, pranto recorrente. Tornei-me passageira de viagem tortuosa, perigosa, interminável. Por vezes avisto uma saída. Chego perto. Ela fecha. O fim parece-me inalcançável.

Então sigo em frente. Andando. De máscara. Com a certeza de que esse turbilhão tem nome. E é um nome de garoto.



Das coisas que não consigo apagar.

Quando topei contigo nem esperava gostar. Nem queria esse exagero, misto de tesão, afeto e insanidade que hoje caminha ao meu lado. Não pensei em perder as raras noites de sono, sequer imaginei o turbilhão que me bagunçou casa, dias, vida.

Perdi a direção. Pois quando quis acelerar, insistias em parar. Quando pisei no freio, vinhas em alta velocidade atropelando-me o peito. Quem era a mais ensandecida nessa história? ainda não pude descobrir. O fato é que pouco conheço sobre a hora do fim, pudera eu ao menos ter a certeza de que tudo terminou.

Lembro-me bem de tua rispidez. Foste duro, enterneci. Fechei minhas portas, vinhas cheio de doçura. E assim, vivendo de paradoxos, éramos dois loucos trocando beijos por vezes deliciosos, por vezes cortantes.

E que lábios são esses? Do mesmo jeito que foram capazes de revelar caminhos secretos, proibidos, cheios de leveza e ardor, em muitos momentos tornaram-se palco de palavras das mais doídas. Fizeram meus olhos fecharem-se de prazer. Fizeram meus ouvidos abrirem-se com agressão.

Fiquei perdida. Talvez ainda esteja. Pudera tudo isso fosse só mais um texto, passaria a borracha e pronto: acabado. Porém somos personagens inapagáveis. Tu tens cheiro, gosto, pele. E esses são itens impossíveis de se desprezar.


Crônica de um amor inventado.

O meninO que passeia por aqui mal sabe que a cada passo deixa pegadas em meu peito. Eu, platéia de primeira fila, simples fã, vibro ao ver seu caminhar. É essa jinga dele, essa coisa de quem flutua que aplaudo em silêncio secreto de alguém de pouca coragem e muito sentir.

Basta um gesto, um arrumar de cabelo, um esboço de sorriso e cá estou eu encantada novamente. A cena repete-se, dia após dia. Assisto incansável.

Ah, como adoro esse seu jeito menino, sua voz doce, sua pele pintada da cor tão linda que nem sei como existe! Tenho certeza, ela foi esculpida com zêlo e talento por um ser celeste meio anjo, meio artista; meio santo, meio diabo.

Deixa-me irrequieta o tal. Gela-me a barriga, arrepia-me a espinha, faz tremer as pernas. Meus olhos o perseguem feito bicho com fome, as formas dele são a presa preferida destas retinas sedentas de beleza e formosura.

Admirá-lo é hoje tão essencial quanto respirar. Pois se ele some falta-me o ar, perco os sentidos, passo a ver o mundo em branco e preto.

Talvez aconteça o tempo dele saber que existo. E vai me ver de perto. E vai me enxergar a alma. E vai perceber que é só dele toda a poesia que transborda de mim.
Mell Castro

Google

Google

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Correria e novidades

Crescer e amadurecer

“Olá amigos!!
Continuo mexendo no volume pra aliar minha expansão, doçura e disponibilidade Ri!!
disse que ia escrever, e mais do que por comprometimento com vocês foi uma grande vontade mesmo.
Essa semana não tem sido fácil. . . corpo doído, garganta inflamada, alergias,Vocês não imaginam a correria que está minha vida,mais posso dizer que está bacana de certo ponto de vista.Gostaria de compartilhar com vocês o fato de ter conseguido um novo trabalho ao meio de pouca compreensão alheia.
Eu já (de uns tempos pra cá) sacava como existia a necessidade da minha mãe me manter a princesinha do castelo. De mostrar com que eu precise dela e de usar chantagem emocional sempre que algo a contraria. Sacava de uma forma mais sutil, mais geral. . . mas putz! Como isso está em evidência agora. Tivemos uma briga horrivel, basicamente por eu estar aqui, tocando minha vida, dando conta de mim mesmo (ou fazendo o melhor que posso no momento para isso), e eu não sustento brigar com a minha mãe.
Me sinto fraca, sem apoio, desnutrida e descuidada. Não sei cuidar de mim.
Me vem a vontade de desistir de tudo. Porque ter que trabalhar e pagar minhas contas sozinha? Arrumar a casa, cuidar do carro e tudo que abrange a vida adulta? Quão mais confotável estaria eu na minha cidade. . . na minha casa aconchegante, com pessoal que trabalham lá o dia todo,meus velhos amigos, meu atual namorado,cercada de minhas orquideas e meu emprego do qual não trabalho tanto . . .
Por outro lado, essas alturas, seria confortávelmente insuportavel né?!

Vontade mesmo é de não fazer nenhum papel que a vida nos exige. Não ser Mell, filha, nem namorada, amigona ou qualquer outra coisa. Só me sentir total com a natureza mesmo.
Tomar um banho de cachoeira pelada e ficar horas ali, sozinha.
Uu. . . que gostoso escrever aqui. Por mais que nem leiam, ou tenha resposta, foi uma forma boa de desabafar.
No mais, volto aqui brevemente.
Não deixarei de estar sempre postando novidades
Um beijo gostoso no coração de cada um.
*
*Mell Castro

terça-feira, 24 de agosto de 2010



Em teu corpo
desenho
caminhos tortos.**

Traço
milhões de linhas,
curvas
minhas...








PS: Depois de ter publicado esta "tentativa de poema" , encontrei uma frase linda do Fernando Pessoa, que a meu ver, faz todo sentido e completa a minha ideia! Apreciem:
"Quero, terei - Se não aqui, Noutro lugar que ainda não sei. Nada perdi. Tudo serei"

Devaneios...


CONTRADIÇÕES...


Percebi que não gosto tanto assim de ti
Meu doce desvio...considero que até pouco tempo atrás
Fui bastante feliz ao seu lado
Como sonhei... como planejei...
Ensinaste-me muito sabia?
Nesses sonhos navegando com você, seguindo atalhos
Do teclado entre emoticons, pequenos sorrisos de canto de boca
Ou ao meio de uma alta gargalhada
Que rompia por diversas vezes o silêncio e a solidão do meu quarto
Conheci pessoas incríveis...
E lugares paradisíacos...
Visitei as ilhas gregas...
E os vales do Nilo
Você me levou ao céu...
E me apresentou ao inferno.
As vezes ainda procuro
A inocência,a garota ingênua que morava em mim
Hoje me vejo estacionada no purgatório
Na dúvida...
Na incerteza...
Se vale ou não a pena...
Sigo ou não contigo?
Benefício da dúvida?
Será você apenas um vírus?
Que apareceu na minha telinha
E me deixou contaminada de você?
Sinto que realmente estou infectada
Com a maldição mais trágica:
Não ter saudades do "mundo real"...




Mell Castro
*
*
*


Meio a Meio


Era assim mesmo que ele estava
E tudo em mim do avesso
Avesso do começo

E o dia se fez noite
E a criatividade, pesadelo de não existir

As palavras da química não saem
Para uns dados fins...
Para outros...
Borbulhavam em soluções explosivas a todo momento.

Vicio**

Primeiro e último dos meus dias
Como água me faz falta...
Como droga me vicia...

Um vício
Uma batida
Um som
O do meu peito
Que bate descompassado
Com medos e certezas
E apenas algo me acalma:
....
As lembranças vêm a mil
Me fazem perder o sono me obriga
a querer manter meu vício, uma fissura que
insiste em ficar... nesse momento de total fragilidade
entre pirar ou não pirar...
pensar ou esquecer...
entregar ou não me entregar...
Entre devaneios penso:
Preciso tomar cuidado
Não com as doses
Mas com meu coração.
*
*
Mell Castro



Enquanto ando de lá pra cá
pensando no turbilhão dos acontecimentos
começo a perceber
que depois da nossa demorada conversa
voltei a escrever.

Depois da queda,
da loucura,
da paranóia,
do telefonema pude concluir que o mesmo
Não alimenta meus sentimentos, não ameniza a dor.
Mais colaborou e muito para destruir minha mente com pensamentos perversos
submersos nas maldades que os homens insistem em cometer...




. Um belo dia: ahhhhhhhhhhhhh!
Visto-me de cores
(das mais belas)
Agarro meus amores
(os mais quentes)
Esqueço meus pudores!
(os mais antigos)

Um belo dia: ahhhhhhhhhhhhh!
Saio numa sarabanda* louca
(pelas calles de Madri)
Beijando na boca
(dos muchachos febris)
Arrancando nossa roupa!
(nossos desejos pueris)

Um belo dia: ahhhhhhhhhhhhh!
Ponho-me a voar
(no céu da tua cama)
repetir, suspirar
(como quem clama)
por um suspiro vulgar
(de quem ama!).

Um belo dia: ahhhhhhhhhhhhh

quarta-feira, 18 de agosto de 2010



Já não escrevo há demasiado tempo. Alguns dias culpo a falta de imaginação, outros a de oportunidade.Às vezes não sei quem sou... ando perdida nestas encruzilhadas que a vida me propõe... por vezes sigo mesmo o caminho errado, somente para me aperceber de que já não me é dada a oportunidade de trilhar o certo... Aprendi que há coisas que simplesmente não estão destinadas a acontecer, enquanto outras são simplesmente inevitáveis, independentemente da minha vontade de querer ou não contrariá-las...
e assim sigo... um dia errando... outros buscando acertar. Deixo a todos o meu carinho
com um beijo que vale por mim.
*
*
Com ternura//// Mell Castro
Me lancei algemas
estou presa em meus medos
Tenho a chave nas mãos
mas a deixo cair entre meus dedos

E não crio um novo mundo…

Todos os dias se seguem
arrastando as mesmas horas
Tenho a impressão de que a novela
sempre repete a mesma história

Ou fui eu quem não mudou de capitulo?












Via láctea
Soneto XIII
"Ora (direis) ouvir estrelas! Certo
Perdeste o senso!" Eu vos direi, no entanto,
Que para ouvi-las, muita vez desperto
E abro as janelas, pálido de espanto...
E conversamos toda a noite, enquanto
A via láctea, como um pálio aberto,
Cintila. E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,
Inda as procuro pelo céu deserto.
Direis agora: "Tresloucado amigo!
Que conversas com elas? Que sentido
Tem o que dizem, quando estão contigo?"
E eu vos direi: "Amai para entendê-las!
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e de entender estrelas."
Olavo Bilac

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

video

Dama da noite...

Sorri, dama da noite...
Enquanto uma lua gira nos olhos,
Um beijo toca o céu e línguas saboreiam o manjar dos deuses...
Esbanja teu brilho de estrela...
Seduz a madrugada...
Baila com o vento pela escuridão...
Enbriaga com seu perfume os eternos amantes...
Enquanto eu, fico aqui facinada com sua tamanha beleza que assim como um flasch...
Um instantânio mágico...
Certamente daqui a poucas horas...
Contemplarei a ti somente nas minhas lembranças...
*
*
MellCastro



video


...Não se afobe não, que nada é para já...



Então, um dia você acorda e não suporta mais essa dor que mistura saudade, desespero, raiva e incorformidade.
Você se levanta e não reconhece no espelho, essa pessoa de semblante triste, cansada e melancólica.
Você vê a chuva caindo pela janela, e sente um frio no corpo e pensa que esse dia plumbéo e triste reflete o que lhe vem à alma.
Você acessa a net, lê e responde emails, passeia pelos orkuts da vida, conversa com alguns on line e se deixa levar pelo dia como uma pluma ao vento.
E uma hora, você se questiona, o porquê de mais uma vez se deixar levar pelas aparências vazias, das promessas falsas, do sorriso bonito que esconde um coração volúvel, se questiona por que amar, quando o amor parece não se suficente, quando as coisas mundanas são melhores do que o melhor de si guardado e oferecido em nome do bem querer, do bem estar, você se questiona se talvez já não seja hora de deixar de crêr nesse misterioso e tão buscado sentimento a quem todos chamam amor...
Você se questiona o que fazer com todo esse sentimento dentro de si sufocado, recolhido e escondido depois de ter sido desprezado, se pergunta :
E agora, o que fazer? Queimar como palha seca? Rasgar como papel desnecerrário?
Jogar fora como algo descartável, o que para você foi tão bonito?
Afinal, fazer o quê?
Então você, senta e coloca sua alma num trecho de texto, que não convém ser chamado de poema, e deixa fluir a saudade e o amor, por entre os dedos e através do teclado, e no meio de tantas dúvidas e incertezas, você lembra de um poeta que diz que amores serão sempre amáveis e percebe que, se não o vivi com você, futuros amantes, talvez, se amarão sem saber, como todo esse amor, que um dia existiu por e para você.





Novos começos...

Eu sempre gostei de escrever...
Palavras tem o poder de me acalmar...
Tenho o péssimo habito de deixá-las fugir de mim num momento de extrema raiva, de expô-las da pior forma possível, mas felizmente essas mesmas palavras costumam me ajudar ao pedir desculpas, ao descrever meus sentimentos, meu bem querer...
Não sei se é um dom, ou se é uma falha, ou se é um presente, não o uso das palavras, mas a forma de expô-las conforme meu jeito de ser.
Gostaria de ser centrada, e politicamente correta.
Mas mesmo já quase balzaquiana, a imagem de que se forma em minha mente quando penso em politicamente correto uso da palavra, vejo algo sem paixão....
Você que me lê pode e deve discordar, claro!!Esse é um pensamento meu.
Sou eu a doida!!
Mas com todas as minhas loucuras e apesar dos meus erros, me considero alguém que vive e viver nem sempre é politicamente e alguém que eu gosto de ler disse que não queria ver a vida passar e sim senti-la nas mãos.
Então por que eu, alguém que tanto tem para aprender poderia querer algo menor que isso?
Enfim estou de volta, com as palavras que sempre foram minhas maiores e melhores companhias.
Minha melhor análise, meu apoio, me centro de equilíbrio, minha reflexão...
Que são meu porto seguro nas tempestades que passei,
Meu mar em calmaria nos momentos bons,
Por isso e por diversos motivos volto, ainda em construção, por que não sou obra findada, e sim, me aperfeiçôo, evoluo, regrido, progrido e sigo por estes caminhos que a vida me oferece.
Seja bem vindo, você que me acompanhou em outra época, você que apareceu por acaso, você que me conhece um pouco ou quem sabe, quase nada.
Respeite meus medos, compreenda meus anseios, compartilhe, concorde e discorde de minhas opiniões.
” E se me achar esquisita,respeite também. Até eu fui obrigada a me respeitar.”*
*
*
Mell Castro




---- QUE IMPORTAM AS COISAS E OS SERES A NÃO SER NO MOMENTO INFINITO E RARO EM QUE ELAS SEM CARICATURAS DESPEM-SE DE TODO O ARTIFÍCIO E FRIAS E LOUCAS SÃO ELAS MESMAS NUAS?


video

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Uma questão de sentir...

"Quando observamos da praia, um veleiro afastar-se da costa, navegando mar adentro, impulsionado pela força dos ventos, ele nos parece cada vez menor. De repente só podemos contemplar um pequeno ponto branco onde o mar e o céu se encontram. Quem observa o veleiro sumir no horizonte certamente exclamará ¨já se foi¨. Terá sumido? Evaporado?

Não certamente. Apenas o perdemos de vista. O barco continua do mesmo tamanho e com a mesma capacidade que tinha quando estava próximo de nós. Continua tão capaz quanto antes de levar ao porto de destino as cargas recebidas. O veleiro não evaporou, apenas não o podemos mais ver.

Mas ele continua o mesmo. Talvez, no exato instante em que alguém diz ¨se foi¨, haverá outras vozes, mais além, afirmar: ¨lá vem o veleiro¨. Assim é a morte. Quando o veleiro parte, levando a preciosa carga de um amor que nos foi caro, e o vemos sumir na linha que separa o visível do invisível dizemos ¨já se foi¨.

O ser que amamos continua o mesmo. Sua capacidade mental não se perdeu, suas conquistas seguem intactas, da mesma forma que quando estava ao nosso lado. Conserva o mesmo afeto que nutria por nós.

Nada se perde, a não ser o corpo físico de que não mais necessita no outro lado. E é assim que,no mesmo instante em que dizemos ¨já se foi¨, no mais além, outro alguém dirá feliz ¨já está chegando¨.

Chegou ao destino levando consigo as aquisições feitas durante a viagem terrena. A vida jamais se interrompe nem oferece mudanças espetaculares, pois a natureza não dá saltos.

Cada um leva sua carga de vícios e virtudes, de afetos e desafetos, até que resolve por desfazer-se do que julgar desnecessário.

A vida é feita de chegadas e partidas. De idas e vindas. Assim, o que para uns parece ser a partida para outros é a chegada.

Um dia partimos do mundo espiritual na direção do mundo físico; noutro partimos daqui para o espiritual, num constante ir e vir, como viajantes da imortalidade que somos todos nós.

Mell Castro








"Mistérios de mulher

O que eu escondo?
Não sei...
Poucas coisas
Bobas...
Algumas fortes...
Nem te conto.
Eu carregarei
eternamente sozinha...
Sou forte,sou capaz
de aguentar.
Quanto a ti não sei...
As mulheres são guerreiras
E silenciam quando precisam...
Compartilham o que podem
Dão o que tem.
Todas tem segredos
Amores violentos
Paixões interrompidas
Sonhos esquecidos...
Podem carregar dores,
mágoas
Mas não transparecem
a qualquer um.
Escolhem um homem
para amar .
Compartilhar alegrias
e sonhos
Algumas tristezas e medos...
Mas tem medos que são só delas.
Tem desejos que são secretos.
Lembranças que são ocultas...
Através de olhos sinceros.
Mas elas amam mesmo assim...
Se entregam,se dividem.
Acreditam,esperam.
Possuem um amor infinito
E outras coisas infinitas...
Que mal cabem dentro delas
Tão frágeis e sensíveis
Tão lobas e famintas...
*
*
Mell Castro



Meu santuário-

Caminho de sonhos
Santuário...
Pecado sagrado de fantasia e poema,
Razao sonho e emoçao.
Meu corpo santuário
Clama por teu pecado sem pudor.
Clama pela obscenidade de teus atos
Palavras desconexas, obscenas.
Nua de conceitos...
Entre velas e incensos...
Espero teus desejos...
Entre magias,poesias e malicias
Meus aromas afloram...
Despertando em ti vontades adormecidas.
Doce santuário,
Entre vinhos e juras
Calices e sons.
Estou lá onde me invento e faço
Esboço minha face
Desfaço se for preciso
Em meu caminho de sonhos
Meu santuário...

video

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Confesso...

E para te sentir, só é preciso que eu me toque...




Bilhete


Em cada traço cada gota cada marca cada poro cada pêlo cada um cada uma...
Um beijo no...na...nos...nas...
Assinado:
“ Aquele”.






Você sempre chamou minha atenção pro lado proibido
pro contestável,rejeitando uma-a uma as minhas convicções.
Acordou em mim tudo que dormia
Fez emergir oque eu guardava...
Ele,insuportavelmente sedutor...
Eu, docemente pornográfica...
*
*

Mell Castro



segunda-feira, 2 de agosto de 2010

domingo, 1 de agosto de 2010

LUA

Ele me deitou nua em cima do calçamento
e eu sabia que era loucura
que era coisa de momento
pensei até que era a lua
danada noo quarto crescente
ou era fúria de maré
crescendo dentro da gente
e eu me sentia suada
e eu me sentia escura

mas não tinha medo de nada
que toda paixão da coragem
e me deitei na calçada
com orgulho e vadiagem
e quanto mais me sujava
mas me sentia à vontade
mais eu queria e deixava

mais eu pedia e mais dava
e ria, gemia e brincava
de ter tanta liberdade
eme me deitou na rua
numa qualquer de passagem
e eu sabia que era loucura
que era coisa de um momento
de grande camaradagem











Dentro de mim mora o animal
indômito e selvagem
que talvez te faça mal

talvez uma faísca
relâmpago no olhar
depressa como um susto
me desmascare o rosto
e de repente deixe exposto
o meu pior

em mim germina
uma força perigosa
que contamina
uma paixão vulgar
que corta o ar e que
nenhum poder domina

explode em mim
uma liberdade que te fascina
sopro de vida
brilho que se descortina
luz que cintila, lantejoula
purpurina
fugaz como um desejo
talvez te mate
talvez te salve
o veneno do meu beijo.





Vou Te Seduzir...


Com meus Olhos...

Com meu Sorriso...

Com minhas Palavras....

Com minha Boca…

Com meu Silêncio...


Sinta o que quero...


Meu Olhos: Te desejo...

Meu Sorriso: Vem…

Minhas Palavras: Te surpreenderás...

Minha Boca: Tua...Só tua...

Meu Silêncio: Prove!!!


Você…

Não Resistirá…

E jamais Esquecerá!!!

domingo, 25 de julho de 2010

Violência Doméstica, não pactue com essa covardia!!!



Uma mulher sozinha e indefesa contra um grupo de homens. O que as investigações sobre o caso Bruno indicam, a respeito do fim da modelo Eliza Samudio é semelhante a outros casos de jovens assassinadas que chocaram a opinião pública brasileira no século XX. No caso Dana da Teffé, a semelhança está em outro aspecto: a ausência de um corpo.

* Dana de Teffé (1961): o advogado Leopoldo Heitor foi acusado de matar a milionária tcheca Dana de Teffé para se apropriar da herança. Ela desapareceu quando viajava de carro do Rio para São Paulo em companhia de Heitor. A suspeita começou a recair sobre o advogado depois que ele apareceu com uma procuração falsa que o tornava administrador da fortuna de Dana, que não tinha filhos ou parentes próximos (a família dela morreu na Segunda Guerra Mundial). O advogado apresentou versões diferentes para o caso (sequestro por agentes comunistas e latrocínio) e foi absolvido em três julgamentos, apesar de ter entrado várias vezes em contradição. O detalhe que contou no fim foi o princípio básico criminal de que só existe delito de assassinato se existe cadáver. Leopoldo Heitor, que ficou conhecido como "o advogado do diabo", trabalhou em seu escritório no Centro do Rio até morrer, em 2001.

* Aída Curi (1958): no 14 de julho de 1958, a estudante Aída Curi (foto), foi jogada da cobertura de um edifício da Avenida Atlântica, em Copacabana (Zona Sul do Rio). As investigações indicaram que ela foi vítima de uma tentativa de estupro e foi atirada do apartamento para simular suícidio. Foram a julgamento o playboys Ronaldo Guilherme de Souza Castro, Cássio Murilo Ferreira e o porteiro Antônio João de Sousa. Por ser menor, Cássio foi cumpriu medidas socioeducativas no antigo Serviço de Atendimento ao Menor (SAM). Ronaldo e Antônio chegaram a ser condenados. Após cumprir parte da pena, Ronaldo foi viver no Espírito Santo. Antônio João de Sousa desapareceu.

* Cláudia Lessin Rodrigues (1977): no dia 26 de julho, o corpo de Cláudia, irmã da atriz Márcia Rodrigues, foi localizado amarrado com pedras em um penhasco na Avenida Niemeyer, na Zona Sul do Rio. Inicialmente, foi divulgada a versão de que a jovem morreu vitimada por uma overdose de drogas em uma festa de embalo, mas a perícia e as investigações feitas pelo detetive Jamil Warwar indicaram que a morte foi provocada por asfixia. O caso ficou marcado pela impunidade dos acusados: o playboy Michel Frank foi absolvido no segundo julgamento e fugiu para escapar de um novo júri. Ele foi assassinado em 1989 na Suíça, num crime envolvendo traficantes de drogas. O cabelereiro George Khour chegou a ser sentenciado por ocultação de cadáver, mas ficou detido por pouco tempo.

* Mônica Granuzzo (1985): a estudante de 14 anos foi se encontrar com o modelo Ricardo Peixoto Sampaio no apartamento deste, na Lagoa (Zona Sul). No dia 16 de junho, o corpo da jovem foi encontrado em um barranco e enrolado em um cobertor. A perícia indicou que Mônica morreu ao cair da varanda do apartamento de Ricardo, ao tentar fugir de uma tentativa de estupro. O modelo teria chamado Alfredo Patti do Amaral e Renato Orlando Costa, para desovar o cadáver. Alfredo e Renato foram condenados a um ano e cinco meses de cadeia por ocultação de corpo, mas cumpriram a pena em liberdade por serem réus primários. Ricardo foi sentenciado a 20 anos de prisão pela morte de Mônica, mas conseguiu liberdade condicional após cumprir um terço. Atualmente, ele mora no Rio de Janeiro.

Mércia Nakashima( 2010): de 28 anos foi encontrada morta na sexta-feira dentro de uma represa em Nazaré Paulista. Ela estava desaparecida desde 23 de maio, mas a polícia acredita que não tenha sido assassinada uma semana depois. Pelo estado em que o corpo foi encontrado, os legistas suspeitam que a morte ocorreu no máximo há 15 dias. O ex-namorado de Mércia é apontado como principal suspeito. Mizael Bispo dos Santos foi soldado e cabo da Polícia Militar, mas se aposentou por invalidez depois de ser atingido por uma descarga elétrica. Afastado da PM, se formou em direito e se tornou sócio de Mércia num escritório de advocacia.

Em menos de um mês a impresa começa a noticiar o caso de Eliza Samudio.

Eliza Samudio (2010): "Uma história hipotética: a moça grávida chega à delegacia, diz que foi agredida e mantida em cárcere privado pelo namorado. Conta que foi obrigada a tomar um abortivo e ameaçada de morte caso procurasse a polícia. Chora, mostra as marcas de agressão e pede ajuda. A delegada manda a vítima para o IML. Quer exames de corpo de delito e de urina, para saber se houve mesmo agressão e tentativa de aborto. Invoca a Lei Maria da Penha, criada para proteger mulheres vítimas de violência, para que a moça receba proteção. Aqui começa mais um capítulo da novela dos inquéritos brasileiros. Oito meses e meio depois, o acusado não foi ouvido, a delegada foi transferida e o exame de urina não está pronto -o IML defende-se sob o argumento de que ninguém pediu urgência nos resultados." por Cristina Grillo (Folha De São Paulo)


Dez mulheres são mortas por dia no País essa é a matéria da folha de São Paulo no dia 04/07/2010.

11/07/2010 Uma mulher é morta a cada duas horas no Brasil , deixando o país em 12 no ranking mundial de homicídios de mulheres. Jornal o Globo.

Em dez anos (de 1997 a 2007), 41.532 meninas e adultas foram assassinadas, segundo o Mapa da Violência 2010, estudo dos homicídios feito com base nos dados do SUS.
A média brasileira é de 3,9 mortes por 100 mil habitantes; e o estado mais violento para as mulheres é o Espírito Santo, com um índice de 10,3 mortes.
No Rio, o 8º mais violento, a taxa é de 5,1 mortes.
Em São Paulo - onde Eloá Pimentel, de 15 anos, foi morta em 2008 após ser feita refém pelo ex-namorado em Santo André, e que agora acompanha o desfecho do assassinato de Mercia Nakashima - a taxa é de 2,8.




Fontes Pesquisadas: http: //www.agenciapatriciagalvao.org.br

http://www.sidneyrezende.com/





Eliza escolheu uma forma nem um pouco interessante para ter uma vida de princesa,usando o próprio filho para obter um sonho de morar e gastar bem,mas isso não se leva o caso.


Eu acredito que muitas mulheres pensam desta forma errônea ,Um sonho a gente constrói começando de baixo,tijolinho por tijolinho...rs mas quem sou eu par julgar não é verdade ,mas meu intuito aqui não é julgar e sim fazer um alerta para meninas que sonham alto demais e acabam pagando com a própria vida.


Elisa foi uma menina linda criada por seu pai até os seus 20 anos...e era como todas nós, "uma mulher sonhadora"


Ela não merecia acabar assim morta e seu corpo não encontrado até hoje...


Se todos fizessem um pouquinho quem sabe não diminuiriam os assassinatos com nossas meninas...Pense nisso vc tb!


E seja quem for tem que ir pra CADEIA!


Caro leitor, os altos índices de agressão contra a mulher no Brasil exigem de todos nós um posicionamento e atitude que traduza o compromisso ético, político e público de contribuir para a erradicação desse tipo de violência. Lamentavelmente, casos como o de Elisa se multiplicam aos borbotões em todo território nacional, levando o cidadão a nítida impressão de que os que atentam contra a vida das mulheres não sofrerão maiores consequências.

Diante do exposto, queremos que os culpados pelo desaparecimento, morte e ocultamento de cadáver de Elisa sejam SEVERAMENTE punidos pela justiça brasileira.

Minha homenagem a ela...


E meu desprezo e repudio a estes Assassinos e covardes!.