quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Pra Ele:Norah Jones

video




Insônia.

Roubaram-me o sono novamente. Cá estou perdida entre meus livros preferidos, escutando as músicas que mais gosto, assistindo à televisão com o volume baixo. Já passaram por aqui Mário Quintana, Guimarães, Hilda, Pessoa. , Jobim, Chico, Caetano e Celine Dion. E parece que a madrugada vai ser longa.

Pensei hoje, o que seria dos insones se não existissem os artistas para lhe fazerem companhia? Estaríamos entregues a um zapping eterno, trocando de canais numa velocidade frenética e viciante. Pastor evangélico. Clique. Mulheres nuas da TV a cabo. Clique. Filme de comedia. Clique. E são mais de 100 canais, haja dedo.

A tentativa de me desligar foi inútil. Após girar na cama fazendo dela uma roda gigante, depois do colchão ter grelhado meu corpo por inteiro, desisti de fritar. Acendi a luz, liguei o som, a TV, perdi-me em páginas e enfim resolvi escrever. São tarefas-fuga, maneiras nem sempre efetivas de me esconder dos pensamentos que vêm atormentando este ser.

Hoje quis ficar sozinha. Resisti aos convites de amigos, não atendi o celular, reclusão total! Acho que o turbilhão só cresceu, talvez se eu tivesse me permitido alguma distração, agora estaria sonhando profundamente.

Mas de nada adianta lamentar. Então vou aproveitar o que as próximas horas me reservam. Afinal, os autores são os mesmos, os cds são os mesmos. E a angústia, minha fiel companheira de tantas insônias, há de acordar ao meu lado, encostada neste peito que anda reservado só para ela.





Relatos da alma.

Dor de cotovelo. Ah, como dói. E não tem aspirina, analgésico ou anti-ácido que faça passar o sofrimento. Nos culpamos, dizemos que nunca mais isso acontecerá de novo, trocamos de mal do Deus, enfim, a vida vira um caos. Mesmo assim acontece de novo.

Adoro a canção “Almanaque” do Chico Buarque. Termina assim: “me diz, me diz por que tudo começou quando tudo acabar?” Sim, porque a sensação de perda quando uma paixão chega ao fim é a parte mais revoltante da história. Aí, muitas vezes nos fechamos. Outra música do mesmo autor. “Hoje eu tenho apenas uma pedra no meu peito, exijo respeito não sou mais um sonhador. Chego a mudar de calçada quando aparece uma flor e dou risada do grande amor. Mentira!” Deslavada.

A tentativa de me proteger contra futuras dores só me causou mais dor. Ocorreu comigo o que chamo de “criogenia da alma”. Sim, durante muito tempo fiquei com sentimentos congelados, duros, nada mais me derretia. Então ouvi menos cds, vi poucos filmes, li quase nenhum livro de poesia. Deixei de enxergar numerosas belezas que se mostravam para mim. Aos meus olhos o mundo foi ficando em preto e branco, sem trilha sonora, sem enredo que me comovesse.

Demorou para que eu descobrisse que não importa se o final do livro é feliz ou triste. O importante é entregar-se à leitura. O fato do mocinho morrer no longa-metragem pouco tem a ver com a qualidade da película. A harmonia, mesmo dolente, deve ser apreciada com atenção. A vida acompanha essa lógica: até podemos quebrar a cara. O que não devemos é deixar de viver.

Vivi novamente há alguns meses. Senti dor de cotovelo há alguns meses. Sofri um tempo há alguns meses. Neste momento fico feliz com isso. Parece estranho? É estranho, mas me é prazeroso.

Se pude entregar-me, dedicar poemas e canções a alguém. Se fiquei esperando a pessoa chegar diariamente. Se senti aquele frio na barriga quando ele chegava. Se guardei o cheiro, os beijos, os carinhos, os olhares, as manhãs. O que é uma dorzinha de cotovelo perto disso tudo?

Passada a angústia, estou pronta. Abri as janelas do peito para que outro moço possa entrar. Sem me importar o quanto o romance é viável, se durará, se vou me machucar. Pois como diz Drummond: “as coisas lindas, muito mais que lindas, essas ficarão.”

Menino...

Passei poucas horas com esse menino. Poucas porque com ele o tempo nunca é suficiente, sua companhia merece sempre um mais. E que delícia é descobrir esse menino!!um certo ton,parecido com aquelas fotografias revelada aos poucos no quarto escuro, feito esses livros que nos prendem e que a cada página uma profusão de palavras cativantes vão aparecendo aos olhos e invadindo a alma.

Quanto mistério tem esse menino! Guarda consigo segredos doces, quase inocentes, temperos fortes para arder a vida sem graça. Com tais iguarias, vai tornando-se meu gosto predileto, cheio de pitadas únicas de sabores inconfundíveis.

Ah, degustar esse menino... ah... Como um vinho nobre que carrega bouquet complexo e qualidades escondidas. Toques de maçã, chocolate e baunilha. Cor grená de uvas cultivadas em terra firme sob o sol do céu da boca... hummm...

Ele é também canção. Não ouso cantá-lo. Insisto em ouvi-lo. Quero gravá-lo. Sinfonia de notas extensas que vibram o espírito. Harmonias de anjos celestes que caem das nuvens. Naipe de cordas soando em ritmo frenético e beleza essencial.

Adoro o falar desse menino! São sussurros que encantam. Seu papo é Bossa Nova, tocada baixinho, cheio de acordes dissonantes e de um lirismo só dele. Quem dera eu pudesse por dias e mais dias continuar escutando seu dizer. Pudera eu eternizar cada momento ao lado dele.

Pois assim é ele. Homem que aguça meus sentidos. Menino que faz sorrir com sua graça. Ser de uma lindeza ímpar cuja presença me enche de poesia.

dedico a você menino___________________________
____________________________________________________________Mell Castro





Miopia.

Aos meus olhos é belo, dono de um perfil que Van GOgh adoraria pintar. Aos meus olhos baila passos doces deixando um caminho de afeto enraizado por onde passa. E vai passeando pelo espaço encantando a cada novo movimento, fazendo o ato de observá-lo tão essencial quanto respirar.

Aos meus olhos é desses mulekes raros cujo sorriso faz valer a pena uma vida inteira. Pertence a um grupo em extinção hoje em dia, garota nenhuma pára em frente a ele e sai incólume. Ah, como sonhei ter suas mãos em meus cabelos,em meu corpo.Ah... como sonhei

Aos meus olhos é generoso. Sensível. Amoroso. Aos meus olhos sua capacidade de dar carinho seria infinita, o seu gostar incessante.

Aos meus olhos ele carrega consigo o sofrimento de um amor antigo. Um amor que de tanta dor, o tornou mais meigo, mais cuidadoso. Aos meus olhos age com zelo para não causar a alguém o mesmo que fizeram com ele.

Aos meus olhos é perfeito, sob medida para os carinhos meus. Ando precisando de óculos.

3 comentários:

  1. nossa que dedicatória!
    seu namorado deve mesmo gostar de vc.
    Me desculpa por não entender muito mais me parece que vc esta bem triste com algo.
    Seja o que for, mostre sua tristeza a ele que tenho certeza que vai cuidar de vc. Não fique triste,
    vc tem de tudo pra ser feliz, tem vida e viva ela intensamente perto de quem te ama e quem te faz bem.
    Sorria, pq vc pode.

    ResponderExcluir
  2. Sou apenas uma alma, que se liberta quando escreve

    ResponderExcluir